PAIXÃO, PROPÓSITO E MARKETING: PILARES PARA O SUCESSO DA SUA MARCA

Para construir uma marca, transferir valor a ela e, mais do que isso, replicar esse valor para os colaboradores e consumidores, é fundamental que as decisões, estratégias e ações tomadas pelo empresário sejam alicerçadas por um propósito claro e bem definido.

O propósito é a razão pela qual uma pessoa existe, e pode ser compreendido como a união entre sua paixão e as necessidades do mundo. Ele é a mola que direciona e impulsiona sua vida. Faturar acaba sendo uma consequência mais simples e fácil quando se está concentrado em seu propósito, sendo este o melhor caminho para o sucesso a longo prazo.

O propósito torna as pessoas felizes e as diferencia. Pessoas, equipes e organizações vencedoras são conectadas a ele e, em uma empresa, todos os colaboradores devem se harmonizar com essa ideia. As funções de cada um devem ter afinidade tanto com seu propósito pessoal quanto com o da empresa. Quando isso acontece, a maior parte dos problemas gerenciais está resolvida. E quando não acontece, é melhor que o colaborador siga sua vida em outro lugar onde possa se realizar plenamente.

Outro aspecto importante é permitir que os colaboradores façam o que gostam da forma como mais gostam. É preciso dar liberdade de atuação para que eles se sintam estimulados a desenvolver seu máximo potencial. Dessa forma, é certo que contribuirão para que o propósito da organização seja cumprido.

QUAL É A LIGAÇÃO ENTRE O PROPÓSITO E O MARKETING DA EMPRESA?

Quem trabalha para oferecer soluções em vez de produtos aos seus clientes percebe as possibilidades a longo prazo, não se limitando à ambição de conquistar uma porção do mercado a qualquer preço. A evolução do marketing, portanto, reflete o propósito da empresa para se conectar com os clientes engajados nos mesmos princípios.

Quando há o encontro de um produto ou serviço de uma empresa (paixão) com o que as pessoas precisam (necessidades), e esse produto ou serviço apresenta qualidade suficiente para atender às pessoas, a atividade do marketing é muito mais simples. Não é mais preciso influenciar as pessoas a comprarem x ou y, basta evidenciar suas necessidades e o modo de satisfazê-las.

Na nova economia, o verdadeiro marketing ajuda as empresas a levarem os clientes ao encontro de sua paixão. Para isso, é preciso conhecer as próprias paixões e, depois, conhecer as paixões das pessoas a quem se quer prover um produto ou serviço.

Em um mundo de instabilidades e mudanças constantes, estabelecer relações diretas com as paixões e propósitos dos indivíduos ou outras organizações será o diferencial para determinar o valor de um produto ou serviço.

Esse momentum, que tende a se propagar de agora em diante, funciona da seguinte maneira: se algo ajudar as pessoas a seguir sua paixão, elas o comprarão; caso contrário, o desprezarão. Coisas importantes para a sobrevivência e conforto continuam necessárias, mas a sociedade está evoluindo rapidamente para necessidades de um nível superior, em direção à verdadeira autorrealização.

Abraham Maslow estudou e teorizou os níveis das necessidades humanas. À medida que as necessidades fisiológicas e de segurança são atendidas, as pessoas movem-se para suprir o nível das necessidades sociais e de estima, progredindo para necessidades de autorrealização e, depois, para níveis ainda mais elevados, como o transpessoal e o espiritual.

Isso é relevante para a escolha do marketing ideal por parte das empresas, pois conceitos como propósito e paixão são espirituais, representando necessidades de uma esfera mais elevada. A sociedade vive um tempo em que esse nível de necessidades está cada vez mais evidente, mas poucas organizações têm sido capazes de focá-lo.

Desenvolver o modelo que garantirá o sucesso na emergente economia da paixão e do propósito exigirá conhecer mais intensa e individualmente o consumidor, assim como suas novas necessidades.

Para isso, há três requisitos fundamentais:

  1. Compreensão do que é verdadeiramente necessário.
  2. Vontade de trabalhar juntos e em cooperação.
  3. Comprometimento em pensar de forma criativa.

Ao cumprir esses três requisitos, o resultado será excedente às expetativas e fortalecerá relacionamentos internos e externos.

CONCLUSÃO

Se for possível suprir as necessidades das pessoas com aquilo pelo qual se tem paixão, o propósito será realizado com muito mais prazer e entusiasmo. Consequentemente, isso tornará os produtos e serviços mais atraentes que os da concorrência e os fará favoritos das pessoas, mesmo que seus preços sejam mais altos.

O segredo do sucesso é garantir que as pessoas conheçam o seu diferencial. Se você for realmente bom no que faz, se o fizer com paixão e se as pessoas tiverem conhecimento e, naturalmente, necessidade disso, elas vão querer o que seu negócio tem a oferecer.

REFERÊNCIA

RIBEIRO, L.; KORDIS P. L. Uma janela no futuro: mudar para permanecer. São Paulo: Planeta do Brasil, 2003.

Texto escrito por Elisangela Lotterman.

Consultora empresarial na Lotus Inteligência em Gestão, instrutora de treinamentos e especializada em neurobiologia na Alemanha. Estudiosa da psicologia do líder e desenvolvedora do programa Alliance, voltado ao impulsionamento dos resultados no setor comercial das empresas.
Clique aqui e conheça.

Deixe uma resposta