Marketing de conteudo excelere curitiba

O Marketing de Conteúdo é para mim?

Quando começamos a estudar algum tema a fundo, descobrimos o quão vago é nosso conhecimento e, quanto mais estudamos, mais descobrimos que sabemos pouco.

“Só sei que nada sei” – Sócrates

Sabe?

Pois bem, quando comecei os estudos mais profundos de Marketing de Conteúdo – tirando tudo aquilo que encontramos na internet como e-books, por exemplo (muito bons, aliás) – descobri que todo conhecimento que eu já tinha – ou achava que tinha – era apenas um grão de areia. Inocente, pensava que o Marketing de Conteúdo era apenas mais uma das inovações que o marketing digital trouxera para nós.

E eu, como alguém que gosta de buscar a raiz e o porquê das coisas, fui mergulhar neste oceano.

Primeiro, vamos ajustar as coisas:

Afinal, o que é Marketing de Conteúdo?

O Marketing de conteúdo é uma estratégia centrada na experiência do cliente, onde através de necessidades de informações são criados conteúdos valiosos – onlines ou não – para atrair, envolver e conquistar um público específico, buscando-se obter uma conversão em venda.

História do Marketing de Conteúdo.

No século XIX um tal de John, um ferreiro que percebeu que muitos fazendeiros reclamavam da dificuldade de arar a terra naquele solo pegajoso, resolveu desenvolver um novo arado no qual a terra não grudaria mais. O tempo passou, John conseguiu aperfeiçoar cada vez mais seu arado tornando-se um dos maiores homens de negócio do seu tempo. John era John Deere.

the furrow

 

A Deere & Company foi uma das primeiras empresas a utilizar o Marketing de Conteúdo como meio de divulgação de informação. Mas como? Inspirada na fama de John em ouvir e ensinar seus clientes. Então, a companhia desenvolveu a revista chamada The Furrow, em 1895, aproveitando-a não como um canal de venda, mas sim como um “portal” de conteúdo para informar e ensinar os fazendeiros sobre as novas tecnologias e como isso poderia torna seu negócio mais “fácil”. Um clássico Marketing de Conteúdo.

guia michellin

 

O primeiro Guia Michelin – 1900. Fonte: Michelin

A revista existe até hoje, servindo exatamente da mesma maneira – talvez com algumas atualizações -o fato é que a partir daí, diversas outras empresas como Michellin, Sears, P&G, passaram a investir nesta estratégia.

 

Mas por que você precisaria investir nisso? Vamos a pergunta de ouro:

Por que investir em Marketing de Conteúdo online?

Vou te dar 3 razões para entender um pouco melhor:

1. Os tempos mudaram.

Vender a todo o momento tornou-se CHATO demais! Ninguém gosta de vendedor chato. Todos nós estamos sendo bombardeados com informações e propaganda de todos os lados, no celular ou na rua, por isso, aprendemos a selecionar o que é importante e o que não é. A venda não é o foco – no fundo, para a empresa, ela vai ser, pois é necessária – mas a abordagem PRECISA ser diferente.

2. O consumidor mudou:

Hoje, sinto-lhe dizer, os consumidores não se importam com sua empresa ou se seu produto/serviço é o melhor. Pense nele como um ser um pouco egocêntrico, que se preocupa somente consigo mesmo e que vai utilizar sua empresa para atender uma necessidade específica, e nada melhor do que estar lá, presente, na hora em que o consumidor se conscientizar da necessidade e buscar a sua solução porque ela, de alguma maneira, fez-se presente durante este processo.

3. A internet deu um “BOOM” em tudo isso:

Com a criação dos buscadores online, o passo que o consumidor precisava para conhecer melhor os produtos que lhe atendam foi dado. E qual empresa não gostaria de estar presente em primeiro lugar quando um possível cliente buscasse pelo serviço/produto que ela oferece? Por isso, tornou-se fundamental estar presente nestes buscadores, nas mídias sociais e na internet. Mas então como fazer isso? Bom, a não ser que você já conheça todos os seus clientes e não precise disso – o que eu duvido – uma bom planejamento de Marketing de Conteúdo pode auxiliar seu consumidor nesta jornada até que no fim ele acabe fechando uma compra com você. Mas calma! Não é abrir um blog e sair fazendo “textão”, afinal, quando trata-se de Marketing de Conteúdo, corremos uma MARATONA e não uma corrida de 100 metros, ganhamos na consistência e não na velocidade. Por isso, é necessário agir com estratégia, estudando seu público, segmentado-o e sempre com muita cautela.

Se você chegou até aqui e ainda não se convenceu, então pare para pensar:

  • Você consome o que na internet? Conteúdo.
  • Seu filho/filha consome o que na internet? Conteúdo.
  • Sua mãe consome o que na internet? Conteúdo.
  • Blogueiros famosos divulgam o que na internet? Conteúdo.
  • O Youtube é um portal de quê? Vídeo. Que também é conteúdo.

Cada um de sua maneira, mas todos consumindo algum tipo de conteúdo.

Se agora você não se convenceu, está tudo bem, fique tranquilo, você pode desligar o seu Windows 95, pegar seu Discman, buscar num mapa a locadora mais próxima e ir lá locar alguma fita para curtir o resto do dia (só não esqueça de rebobinar).

Brincadeiras à parte e para concluir:

O objetivo do Marketing de Conteúdo.

O objetivo do marketing de conteúdo não é só vender ou fazer uma propaganda legal, isso também faz parte do processo de Marketing, mas, com tudo isso que foi posto, o real objetivo do Marketing de Conteúdo é fazer com que o produtor de conteúdo seja referência no assunto e tenha autoridade para oferecer informações, mostrar domínio e contribuir de alguma maneira para o público, tornando-se mais relevante tanto para seu público quanto para os mecanismos de busca, aparecendo também para aqueles que ainda não são seus clientes e podem tornar-se um. Depois? É bola de neve.

Gostou? Quer receber todas as novidades de nosso blog? Então deixe seu e-mail que vamos te enviar!

Confira o site da Excelere.

Voltar para a Home do blog.

Deixe uma resposta